16 de julho de 2012

Mascote virou menino



O mau de um revisor de texto é, quando estiver lendo alguma notícia, matéria, enfim, qualquer coisa e, sem querer, encontrar alguns desvios da língua portuguesa. Juro que não é por maldade, mas essas coisas acontecem, não é?

Isso é bom para colocar em prática os conhecimentos que temos das normas da língua portuguesa, porém, às vezes, queria ficar sossegada com uma determinada leitura. Não dá.

Hoje, ao ler uma matéria bem interessante sobre mascotes dos Jogos Olímpicos (amo de paixão e torço pelo Brasil!!), percebi que mudaram o gênero da palavra "mascote". Vejam:




Nos dicionários Aurélio e Houaiss, e no Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP),  a palavra "mascote" não mudou de gênero de jeito nenhum. Continua sendo palavra feminina como podemos ver abaixo:

Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. Positivo, 2009



Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa. Objetiva, 2009

 
Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa. Global, 2009


Acredito que "mascote", por ser uma palavra bem conhecida e divulgada pelos falantes da língua portugesa aqui no Brasil, aos poucos, vai se transformando em uma palavra masculina, ou comum de dois gêneros. Basta apenas o reconhecimento. Mas, enquanto esse dia não chega, devemos escrevê-la no feminino, como mandam os dicionários e o VOLP: "Relembre as mascotes dos Jogos Olímpicos de Verão desde 1968".

Nenhum comentário: