9 de abril de 2010

O uso da vírgula - parte 2

• Palavras omitidas

Normalmente, utiliza-se a vírgula para marcar a omissão de uma palavra (geralmente, um verbo) que já havia aparecido no contexto. A isso damos o nome de zeugma. Observe o exemplo retirado de uma música de Chico Buarque:

O meu pai era paulista / Meu avô, pernambucano.
O meu bisavô, mineiro / Meu tataravô, baiano.

Percebem que foi retirado o verbo ser (“era”) dos versos seguintes. Isso é importante para um revisor de textos evitar repetições de palavras.

• Vocativo

O vocativo é o termo da oração cuja função é a de chamar ou interpelar um interlocutor, real ou imaginário. Deve vir sempre separado por vírgula, esteja no começo, no meio ou no final da frase:

Meus amigos, a ordem é a base do governo.” (Machado de Assis)

• Aposto

Aposto é o termo da oração colocado junto ao nome (ou pronome) que o antecede com a função de explicar, especificar, enumerar, resumir esse nome. Deve sempre estar entre vírgulas. Observem:

Lúcia, aluna da oitava série, foi bem na prova.

Fonte: Curso Prático de Gramática

Nenhum comentário: