23 de abril de 2010

Crase (1)

Este é um assunto que muitos já estão "carecas de saber", e ainda não sabem utilizar o acento grave corretamente quando há crase.

Pra começar, crase não é acento, portanto, não está correto a pessoa perguntar se “há crase neste 'a'?”.

A palavra “crase” vem do grego krasis e significa “fusão”, “junção”, que é o encontro de vogais idênticas;  na nossa língua, é a letra a (preposição + artigo). O nome do acento indicador da crase é grave.
A regra geral para a crase é quando o termo regente (um adjetivo ou um verbo) exigir a preposição "a", e o termo regido (substantivo) admitir o artigo "a" ou "as". Vejam estes exemplos:

Eu me referi à diretora.
Eu me referi a + a diretora.

Era insensível à dor. 
Era insensível a + a dor.

Eu conheço a aluna.
Eu conheço ø a aluna.

No primeiro caso, o verbo referir-se rege obrigatoriamente a preposição "a" (caso tenham dúvida, consultem um dicionário de Regência Verbal) e o substantivo diretora é uma palavra feminina, regido pelo artigo feminino "a". Portanto, houve a crase.

No segundo exemplo, o adjetivo insensível rege a preposição a, e o substantivo dor também é uma palavra feminina, sendo regido pelo artigo feminino "a". Então, há também a ocorrência da crase.

No terceiro exemplo, o verbo conhecer não rege preposição alguma por ser um verbo transitivo direto. Aluna é um substantivo feminino, regido pelo artigo feminino "a". Conclusão: não há crase.

By Professora Marcia Moreira

Nenhum comentário: