2 de abril de 2012

Alguns casos de concordância nominal


Neste espaço, falei muito sobre concordância verbal e, como podemos perceber, são muitos casos com que devemos tomar cuidado. Agora, quero falar de outro tipo de concordância, a nominal, que é de um nome concordando com um outro nome: um adjetivo ou um verbo nominal concordando com um substantivo.

A seguir, veja alguns casos de concordância nominal.

• Só

a) A palavra “só” (equivalente a “sozinho”), quando for adjetivo, concorda normalmente com o substantivo: Eles ficaram sós.
b) Quando for um advérbio, não varia, podendo ser substituído por “apenas”: Depois da batalha, só restaram cinzas.
c) Na expressão “por si só”, a palavra “só” é um adjetivo, devendo fazer a concordância com o substantivo equivalente: Os fatos falam por si sós.
d) A locução adverbial “a sós” é invariável: Eu gostaria de ficar a sós com você.

• Pronomes de tratamento

Em pronomes de tratamento, a concordância tanto verbal como nominal deve ser feita em terceira pessoa: Vossa Alteza conhece muito bem seus inimigos.

• Verbos no particípio

a) O particípio concorda normalmente com o substantivo a que se refere: Iniciado o trabalho, todos saíram; Iniciadas as festividades, todos comemoraram.
b) Quando o particípio integra um tempo composto conjugado na voz ativa, este permanece invariável: Os professores tinham iniciado a aula.

• Adjetivos como advérbios

Adjetivos empregados como advérbios não variam: As meninas falavam baixo; Nossos atletas fizeram bonito no jogo à tarde.

• Substantivos como adjetivos

É mais um caso em que a palavra não varia: Blusas vinho; Ternos cinza.

Nenhum comentário: