13 de outubro de 2010

Vocabulário de Didi Mocó


"Ô psit!". É uma modificação da interjeição "psiu". Em raras ocasiões, Didi também usava “Psita”, para mulheres ou supostos homossexuais.

"Som na caixa!". Quando algum cantor participa de seu programa.

"Pó pará!". Pode parar!

"Nem morta, filha!". Recusando-se a realizar alguma ação.

"Dá licença, caiu algo aqui no chão...". Sempre quando queria conversar com alguém em particular, no meio de outras pessoas, Didi atirava,intencionalmente, um objeto no chão, dizia a frase e puxava a pessoa para falar.

"Tudo em riba". Tudo em cima.

"Ô da poltrona!”. Dirigindo-se ao telespectador.

"Quieto, quem chumbar levará mexe!”. Quieto, quem mexer levará chumbo! (ao ameaçar alguém com uma arma de fogo)

"Âh, âh, ah!”. Gritando assustado.

"Circulando, circulando!”. Ao fugir de alguma má situação.

"É fria!”. Idem ao acontecimento anterior.

"Bicho bão!”. Se referindo à mulheres bonitas.

"Tesouro!”. Idem ao acontecimento anterior.

"Cuma?”. Como?

"Reco-Reco, Bolão e Azeitona!”. Frequentemente, Didi usava estes nomes para apelidar um grupo de três pessoas, inclusive seus três amigos.

"Arô? Sô ieu". Alô? Sou eu!”. Ao atender o telefone, Didi sempre passa o telefone pelo rosto, pensando que a outra pessoa o verá.

"Assôôô!”. Achou!". Quando alguém que o estava procurando o encontrava).

"É comiga?”. É comigo?

"Tô com as catraca meio cafusa!". Estou com as cataratas meio confusas!

"Eu sô muito maaacho!”

"É caflito?". É conflito (ao se desentender com alguém).

"É guerra?”. Idem ao acontecimento anterior.

"É um, é dois, é dois e meio, é dois e quarenta e cinco, é três!”. Sua contagem até três.

"Fui ofendido mas tô no lucro!”

"Ouço vozes..."

"Aí vareia. Aí varia”

"Arranca a tornêrinha dele!”. Bastante dita nos anos de 1980, quando Didi queria castigar alguma criança que o ofendia.

"Eu dô minhas cacetada!”. Quando era questionado se sabia realizar algo, Didi queria dizer com esta frase que, apesar de não ser muito bom, sabia fazer tal ação.

"Audácia da pilombeta!”

"Hmmmm, tô com medo da menina!”. Debochando de alguém que o ameaça.

"Folgo em vê-lo, indivíduo competente.”

"Eu não quero nem saberrrrr!”

"Vô fingir que nem ouvi!”

"Aguarde, e confie!”

"Isso, pisa, pisa em cima daquele que te dá carinho!”

"Biiiito!”. Bonito.

"Bater palmas três vezes e gritar: 'Peruas!'"

"Os pirataaa!”

"Sabe tudo!”

"Ô boy!”

"É assim com os ômi!”

“Severina!"

"Tá na mão do artista!”

"Isso muito me interessa!”

"Acredito muito na ciência!”

"Assim como são as pessoas, são as criaturas!”

"Esse aí camufla!”. Frase usada por Didi para se referir a supostos homossexuais.

"Esse aí escamoteia!”. Idem ao caso anterior.

"Popozuda!”. Quando se referia a mulheres de corpo curvilíneo.

"Estorou aqui, vai feder lá fora!”

"Aí tem truta!”. Desconfiando de alguém ou de alguma situação.

Fonte: Sala Latina de Cinema

Nenhum comentário: