29 de setembro de 2010

Preconceito linguístico


Comprei nesta semana este livro que trata justamente do preconceito que nós, professores de língua portuguesa, muitas vezes temos com a nossa última flor de Lácio.

Claro que devemos nos ater com as normas para uma boa escrita, mas não admitir que a nossa língua é heterogênea, é brincadeira. Devemos aceitar as diversas variações que estão em todo o Brasil, sem discriminação alguma.

O escritor é Marcos Bagno, linguísta conceituado, amado por uns, odiado por outros, mas, mesmo assim, suas reflexões nos levam junto.


Não é um livro caro e recomendo a todos os professores, da língua portuguesa ou não, a lerem e meditarem em como estamos tratanto a língua brasileira.


Nenhum comentário: