25 de agosto de 2010

Variação linguística: vamos falar pernambuquês?


Pernambucano não fica solteiro, ele fica “solto na bagaceira”.


Pernambucano não vai embora, ele “pega o beco”.

Pernambucano não diz “concordo com você”, ele diz: “e então!!!”.

Pernambucano não conserta, ele “imenda”.

Pernambucano, quando se empolga, fica com a “mulesta dos cachorro”.

Pernambucano não bate, ele ‘senta-le’ a mão.

Pernambucano não bebe um drink, ele “toma uma

Pernambucano não é sortudo, ele é “cagado”.

Pernambucano não corre, ele “dá uma carreira”.

Pernambucano não goza dos outros, ele “manga”.

Pernambucano não conversa, ele “resenha”.

Pernambucano não toma água com açúcar, ele toma “garapa”.

Pernambucano não mente, ele “engana”.

Pernambucano não percebe, ele “dá fé”.

Pernambucano não sai apressado, ele sai “desembestado”.

Pernambucano não aperta, ele “arroxa”.

Pernambucano não fica insistindo, ele fica “pelejando”.

Pernambucano não enche o saco, ele “atazana o juízo”.

Pernambucano não dá volta, ele “arrudeia”.

Pernambucano não espera um minuto, ele espera um “pedacinho”.

Pernambucano não é distraído, ele é “avoado”, “aluado”.

Pernambucano não se irrita, ele se “arreta”.

Pernambucano não fica com vergonha, ele fica “encabulado”, “todo errado”.

Pernambucano não passa a roupa, ele “engoma”.

Pernambucano não chama o outro de bobalhão, ele chama de “tabacudo”, “abestalhado”.

Pernambucano não ouve barulho, ele ouve “zuada”, um “pipôco”.

Pernambucano não acompanha casal de namorados, ele “segura vela”.

Pernambucano não rega as plantas, ele “agoa”.

Pernambucano não quebra algo, ele “tora no meio”.

Pernambucano não é esperto, ele é “desenrolado”.

Pernambucano não é rico, ele é um cabra “estibado”.

Pernambucano não é homem, ele é “macho”.

Pernambucano não pede almoço, ele pede o “cumê”.

Pernambucano não lancha, “merenda”.

Pernambucano não fica satisfeito quando come, ele “enche o bucho”.

Pernambucano não dá bronca, dá “carão”.

Pernambucano quando não casa, ele fica “amigado”.

Pernambucano não tem diarreia, tem “caganeira”.

Pernambucano não tem mau cheiro nas axilas, ele tem “suvaqueira”.

Pernambucano não tem perna fina, ele tem “cambitos”.

Pernambucano não é mulherengo, ele é “raparigueiro”.

Pernambucano não joga fora, ele “avoa no mato”.

Pernambucano não vigia as coisas, ele “fica tucaiando”.

Pernambucano não se dá mal, “se lasca todinho”.

Pernambucano, quando se espanta, não diz: “Xiiii!” Ele diz: “Viiixi Maria!”, “Aff Maria!”

Pernambucano não vê coisas do outro mundo, ele vê “malassombros”.

Pernambucano não pede pra ir encontrar com alguém, ele diz que quer “pontá fulano”.

Pernambucano não diz que algo é legal, diz que é “massa”, “arretado que só”.

Pernambucano não é chato, é “cabuloso”.

Pernambucano não diz “bom pra caramba”, diz “bom que só a mizera”.

Pernambucano não é cheio de frescura, é cheio de “pantim”.

Pernambucano não pula, “dá pinote”.

Pernambucano não briga, “arenga

Pernambucana não fica grávida, fica “buchuda”.

Pernambucano não fica bravo, fica com a “gota serena”.

Pernambucano não é corajoso, é “cabra de pêia”.

Pernambucano não fica apaixonado, ele “arrêia os pneus”.

 
Fonte: Diário de uma perfeccionista

Nenhum comentário: