11 de junho de 2010

10 de junho - Dia da Língua Portuguesa

Pois é, não é que esqueci que ontem foi o dia do nosso querido português, tão apreciado que ainda muitos falam "menas" por aí. Eu, que sou uma apaixonada pela lingua e pela linguística, não poderia esquecer, não é. Trabalho com português há sete anos e não me arrependo da minha escolha: ser uma profissional na área de Letras, especialmente, na minha língua.

Bom, quero deixar um poema que é bem conhecido de todos: Língua Portuguesa. Foi escrito pelo poeta parnasiano Olavo Bilac em homangem à nossa Inculta e Bela.

Língua portuguesa
Olavo Bilac

Última flor do Lácio, inculta e bela,
És, a um tempo, esplendor e sepultura:
Ouro nativo, que na ganga impura
A bruta mina entre os cascalhos vela...

Amo-te assim, desconhecida e obscura.
Tuba de alto clangor, lira singela,
Que tens o trom e o silvo da procela,
E o arrolo da saudade e da ternura!

Amo o teu viço agreste e o teu aroma
De virgens selvas e de oceano largo!
Amo-te, ó rude e doloroso idioma,
em que da voz materna ouvi: "meu filho!",

E em que Camões chorou, no exílio amargo,
O gênio sem ventura e o amor sem brilho!

Nenhum comentário: