11 de março de 2010

Usos e procedimentos que necessitam a atenção de um revisor de textos



Abreviaturas. Não espere que o público em geral reconheça a extensão de uma abreviatura.

Adjetivos. Escolher bem, pois vulgarizam, esicam e enfraquecem o texto; provocam frases feitas e de pouco informativo; o substantivo não é cabide de adjetivos (velocidade vertiginosa; carreira brilhante; ruidosa alegria; sistemática de ensino; rumores problemas; silêncio sepulcral etc.).

Aspas. Evita, nem sempre se alcança o efeito desejado; explique, não deixe subentendido pelas aspas um caráter irônico, provocador, enfático etc.

Clareza. obscurecida por desconhecimento do assunto ou pela falta ou inadequação vocabular, neologismos que não se explicam ou não referem.

Ênfase. deve ser encontrada no próprio texto, não apenas com sinais gráficso.

Estrangeirismos. Expresssões de outro idioma, EVITE. Procure o equivanete em português. Verifique, também, se não é restrito a um pequeno grupos e, se já estiver bem difundido, use-o em itálico.

Extensão de textos e frases. Dependem do objetivo da publicação: se propaganda, catálogo, folhetos, Internet etc., frases curtas, períodos simples, coordenadas.

Jargão. Evita, porém, explique-o entre parênteses, caso muito necessário.

Lauda. Observe a quantidade de caracteres e espaços (toques) para calcular tamanho do texto em relação à produção gráfica, ao preço do trabalho etc. (lauda editorial: 30 linhas/70 toques [com expaços] = 2.100 caracteres).

Leitura na tela. Ninguém tolera mais que sete parágrafos de leitura na tela (2.000 toques); cuidado ao revisar na tela.

Metáfora e analogia. Podem se tornar velhas, caducas, não surtir mais efeito; desgastadas pelo uso, geram frases feitas.

Neologismos. A mesma coisa para o estrangeirismo, EVITE, procure termo equivalente, explique bem.

Nome próprio. Consultar a fonte de origem, se não puder, use a ortografia vigente.

Ordem direta (sujeito - predicado). sermpre preferível.

Público. Cojo não se conhece de antemão qual público ledor, apenas supõe-se; o jeito é buscar clareza, objetividade de informação, ordem direta, o que nunca é demais.

Primeira pessoa. Evite, o autor do texto não pode se tornar mais importante que o assunto apresentado.

Sugestão do revisor. Porque tem mais intimidade com o texto, sugestões alternativas do revisor para a edição são sempre bem-vindas. O revisor deve se relacionar com todo o corpo editorial e com o autor, em clima de confiança.

Tradução e versão. Exigem texto compreensível, estilo capaz de expressar seguramente o mesmo conteúdo em idiomas diferentes.

Fonte: BUSSOLOTTI, Maria Apparecida Faria Marcondes. Revisão o trabalho com textos. Câmara Brasileira do Livro. 2008.

Nenhum comentário: