18 de fevereiro de 2010

Prepare seu português (4)


4. Regras simples evitam decoreba

É preciso haver o encontro da preposição "a" com o artigo "a" para que ocorra a contração, a fusão dessas duas vogais, assinalada pelo acento grave indicativo de crase. A mesma fusão ocorre também na presença da preposição ante os pronomes demonstrativos "aquela", "aquele", "aquilo" e ante o demonstrativo "a".

Há erro de crase, portanto, em situações em que não há a fusão das vogais.
"Levei à ela toda a papelada" (levei a + ela).
Aqui, o pronome pessoal "ela" não admite o artigo.

Na prática, a intuição e a generalização de exemplos concretos de crase podem ser mais efetivas que a decoreba de regras. Se intuimos a regra básica de que só se usa crase diante de palavras femininas quando há preposição seguida de artigo, evitamos ocorrências como "à 80 km", "à correr" ou "à Pedro". Afinal, nunca pensamos em crase com palavras masculinas ou verbos: daí não haver "a lápis", "a contragosto", "a custo".

Se lembramos que o sinal grave também serve para eliminar ambiguidades, evitamos tirar a crase em contextos que pedem, por exemplo, "à beira", "à boca miúda", "à caça". O mais são regras específicas, em expressões como "a distância" (que só leva crase com distância determinada: "O hotel fica à distância de 10 quilômetros"). Aí não tem jeito: é mesmo preciso memorizar as regras.

Fonte: Revista Língua Portuguesa

Da blogueira:
Observe, a seguir, algumas regras do não uso do acento da crase:

a) Diante de Verbos: a partir, a começar etc.
b) Diante da maioria dos pronomes, com exceção senhora, senhorita e possessivos femininos: a ele, a ela, a todos, a Vossa Senhoria etc.
c) Diante de nomes de cidade: a Nova York, a Paris, a São Paulo, a Goiânia etc.
d) Diante de expressões com palavras repetidas: gota a gota, passo a passo, dia a dia etc.
e) Diante de palavras no plural: a cidades, a novelas, a pessoas etc.

Nenhum comentário: